Fogão a lenha ganha versão modernizada e móvel

Fogão a lenha ganha versão modernizada e móvel

Sonia Racy

21 de abril de 2019 | 00h30

Pedro Heldt, Eduardo Gayotto, Plinio Ruschi/ Foto: Caio Palazzo

Pedro Heldt, Eduardo Gayotto, Plinio Ruschi uniram sua paixão pela gastronomia para criar uma releitura do fogão a lenha, batizando de Noori. Por que este nome? “Significa meu fogo, minha luz”, nome dado a recém-nascidos em árabe e também em hindu. O trio queria oferecer um fogão que tivesse mobilidade e que fosse bonito (por isso a inspiração no design escandinavo e oriental). Mas o mais importante é que a peça possa promover a união das pessoas em torno do fogão, como antigamente. “Cozinhar a lenha ou com carvão ao ar livre tem o poder de fazer o tempo passar de maneira mais lenta, possibilitando mais trocas, mais conversas, reunir amigos, músicas. O Noori é um resgate da nossa essência, dos nossos rituais, que tiveram o fogo como elemento central durante milhares de anos e foram impreenscindíveis para desenvolver nossas culturas, explica Eduardo.

 

Tendências: