Flávia Piovesan permanece no conselho do Colégio Santa Cruz

Sonia Racy

27 de fevereiro de 2019 | 00h45

FLÁVIA PIOVESAN. FOTO: FABIO RODRIGUES POZZEBOM/AGÊNCIA BRASIL

FLÁVIA PIOVESAN. FOTO: FABIO RODRIGUES POZZEBOM/AGÊNCIA BRASIL

Flávia Piovesan não acompanhou seus colegas de conselho do Colégio Santa Cruz que pediram renúncia coletiva, anteontem. A justificativa dada à coluna pela ex-secretária da Cidadania – que hoje representa o Brasil na Comissão Interamericana de Direitos Humanos – é a de que sua opção foi permanecer visando “manter o legado, a história e o patrimônio moral do Santa e os valores que nos inspiram”.

Flávia considera “essencial resguardar o projeto pedagógico do Santa, com sua excelência, consistência e singularidade”. E observa: a reunião foi “dura, dolorosa e difícil”.

Candido Bracher, Fernando Reinach, Ricardo Belotti e Lair Krahenbuhl – também membros do conselho – renunciaram depois que a atual gestão da escola decidiu que o conselho não seria mais deliberativo, mas somente consultivo.

Acham, segundo se apurou, que este gesto pode, de alguma maneira, inibir mudanças maiores no colégio.

Leia mais notas da coluna:
Caixa ainda tem ajustes para fazer e balanço não sairá tão cedo
Doria e Covas anunciam parceria para concessão de marginais

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.