Fim do horário de verão deve ter impacto positivo para iniciativa privada

Fim do horário de verão deve ter impacto positivo para iniciativa privada

Sonia Racy

22 de setembro de 2017 | 01h00

MICHEL TEMER. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

A ideia do governo Temer de abandonar o horário de verão, por representar economia irrelevante, coincide com projeção, pouco animadora, do ONS: baixo nível dos reservatórios para os próximos meses – pelo menos até abril de 2018.

A medida, entretanto, deve ter impacto positivo no faturamento da iniciativa privada.

Comitê do MME
justifica a medida

Indagado, o comitê de monitoramento do MME, justifica. Diz que “o risco de qualquer déficit de energia em 2017 é igual a 0,1% para os subsistemas Sudeste/Centro Oeste e Nordeste”. E afirma que conta com a possibilidade “de aumento da importação internacional de energia a preços competitivos”.

Leia mais notas da coluna:

+ Vaquejada segue liberada até segunda ordem, decide STF

Ministro e Marina ‘brigam’ sobre desmatamento em Nova York

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: