Fiéis

Sonia Racy

24 de abril de 2013 | 01h03

Os corintianos encarcerados na Bolívia correm risco de ficar atrás das grades por… um ano.

É que, lá, a prisão preventiva vale por até seis meses, renovável por outros seis.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: