Feliz Natal

Sonia Racy

22 de dezembro de 2011 | 23h09

Se o termômetro de Abram Szajman estiver correto, São Paulo não poderá reclamar das vendas de Natal. “Estamos trabalhando com um crescimento entre 8% e 10% na comparação com o ano passado”, afirmou ontem o presidente da Federação do Comércio paulista. Consequência, segundo ele, de fatos como o da recomposição salarial – só os comerciários tiveram reajuste de 9,8%. Além dos os incentivos do IPI em eletrodomésticos e taxas de juros menores.

São Paulo, entretanto, fecha o ano com vendas somente 4% maiores, enquanto no País, elas devem crescer 6,5%.

E 2012? “Algo parecido com este ano, um pouco melhor”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.