Feira ao léu

Sonia Racy

22 Maio 2015 | 01h20

Programada para daqui a duas semanas – às vésperas da Parada Gay –, a 15ª Feira Cultural LGBT está ameaçada. O governo Alckmin, que de início acenou com apoio ao evento, que custa R$ 400 mil, não sabe quanto poderá dar. E a Secretaria de Justiça, que cuida da área LGBT, diz não ter informações sobre o caso.

Por que o problema? É que, pela primeira vez em 15 anos, a feira ficou fora do orçamento municipal – Haddad a considera cara e não aprova o caráter comercial do evento. O coordenador da área LGBT municipal, Alessandro Melchior, vai além: “O Estado e o governo federal precisam assumir responsabilidade sobre eventos que ocorrem em torno da Parada”.