Federações sindicais brasileira e chinesa querem ajudar no diálogo entre os países

Sonia Racy

23 de janeiro de 2021 | 00h50

 

Uma ametista reluzente estava exposta em cima da mesa, ao lado das bandeiras do Brasil e da China, durante reunião online, quinta-feira, entre representantes das centrais sindicais brasileiras e a Federação Nacional dos Sindicatos da China. 

 Um claro sinal, segundo fonte da coluna, do clima de cooperação instalado.  

 Pedra 2 

 Em encontro anterior, a Força Sindical presenteou a federação chinesa com a pedra brasileira.  

 As conversas giram em torno de como se poderia ajudar no diálogo com o governo chinês para destravar a importação de insumos e vacinas anti-covid. 

 Climão 

 Os ataques entre apoiadores de Doria e Bolsonaro dominaram os comentários no YouTube durante a transmissão do anúncio de que São Paulo endurece a quarentena e entra a bandeira vermelha por causa da crise da covid-19.  

 Mais de 35 mil pessoas assistiram o duro mas necessário anúncio do governo paulista.  

Vale tudo? 

 Marco Vinholi, secretário do governo Doria, acusa: “Há perseguição clara do governo Bolsonaro em relação a obras de infraestrutura no Estado. É só fazer um levantamento é observar convênios travados bem como financiamentos”, disse à coluna. O presidente do PSDB paulista se movimenta para tentar pressionar o governo federal. 

Casa de ferreiro… 

Moradores do entorno e frequentadores da Associação Atlética da Faculdade de Medicina da USP estão revoltados: a entidade alugou suas quadras de futebol. 

 Segundo relatos, as partidas vem sendo realizadas há cerca de três meses, inclusive durante a fase amarela – que não permite a prática 

 …espeto de pau 

 Agravante: “são vários times em esquema de revezamento. Todos sem máscara, amontoados na quadra e nos bancos de reserva”, informa um sócio. No fim, ainda fazem um churrasco.  

Procurada, a assessoria da faculdade não respondeu até o fechamento da edição. Localizada em Pinheiros, a associação desportiva representa os acadêmicos da Faculdade de Medicina da USP e médicos residentes do HC. Aceitam também sócios de fora.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.