Falta de dados de Estados impacta quadro sobre filas para cirurgias, diz Uip

Sonia Racy

05 Dezembro 2017 | 01h30

David Uip, secretário de Saúde, confirma que há, de fato, filas para cirurgias no Estado, conforme publicou o Estadão ontem. Observa, no entanto, que a não inclusão de dados de outros 11 Estados “impacta o quadro”.

No caso de São Paulo, “fazemos 30 mil cirurgias eletivas por mês” – 5 mil a mais na comparação do ano passado, graças à verba extra liberada pelo Ministério da Saúde. “Foram R$ 54 milhões, quase R$ 30 milhões deles destinados aos municípios”.

SP atende pacientes
de Estados vizinhos

Segundo dados de Uip, SP está atendendo a pacientes de Estados vizinhos – não só em cirurgias eletivas mas também em diálises. “O número desses procedimentos aumentou 16% de um ano para outro. Nosso mapeamento mostra concentração em municípios de fronteira com outros Estados.”

Outro fator que aumentou o fluxo de pacientes: muitos paulistas, a exemplo do País inteiro, não estão conseguindo pagar os planos de saúde.

Leia mais notas da coluna:

+ Pedro Barusco se livra da tornozeleira até o fim do mês

+ Filosofia da USP recebe carta de ameaças de suposto atirador