Falta de confiança

Sonia Racy

24 de setembro de 2015 | 11h15

Mercado para lá de tenso, Alexandre Tombini, do BC, deixou por duas vezes a sala de reuniões com a agência Fitch, ontem, para coordenar a estratégia de venda do dólar.

Que fechou o dia em R$4,13.

Confiança 2

Vale registrar que o suspense em torno da agência é grande — e há motivos para tanto. Mas que o encontro já estava agendado há muito tempo, lá isso estava.

Título da comitiva visitante? “Missão de Revisão Anual da Fitch Ratings”.

Confiança 3

E os juros futuros na BM&F estão explodindo sem racionalidade — para 2012, a taxa ultrapassava, ontem, os 16,5% ao ano. O que zera qualquer possibilidade de o BC evitar aumentar a taxa de juros no próximo Copom.

O fato é que a velocidade do processo de deterioração  da confiança geral quanto à capacidade do governo de equilibrar a situação fiscal pode acabar derrubando Dilma antes de qualquer ensaio do Congresso ou do STF.

 

 

 

Tendências: