Falando sério

Falando sério

Sonia Racy

31 de outubro de 2013 | 01h20

Foto: Divulgação

Ela também é personagem de Roberto Carlos em Detalhes, livro de Paulo Cesar de Araújo. Casada por 11 anos com o Rei, Myriam Rios – ou Mirinha, como o cantor a chamava – conheceu RC aos 17 anos, quando ele tinha 34. Foi inspiração para músicas de amor, como Eu Preciso de Você ou Cama e Mesa. Prestes a completar 55 anos, a deputada estadual do Rio – que está em repouso, recuperando-se de cirurgia no ouvido – trocou e-mails com a coluna sobre a polêmica das biografias não autorizadas. “Acusam Roberto de censor. Não acho que seja para tanto.”

Concorda com a publicação de biografias não autorizadas?

Acredito que as pessoas têm, sim, o direito à informação, assim como têm direito à privacidade. O que vai acrescentar a alguém saber detalhes íntimos, mesmo que a pessoa seja pública? Isso não é cultura. Cultura, para mim, é conhecer a carreira, o trabalho que o artista fez em prol da sociedade. Mas saber como suas esposas morreram ou de que maneira o próprio biografado sofreu um acidente, por exemplo, não acrescenta nada. Não podemos dizer que soma algum conhecimento. Trata-se de pura fofoca, isso não é literatura.

Você foi entrevistada e é citada em vários trechos do livro de Paulo Cesar de Araújo. Leu a biografia? Acha que ela deveria ter permanecido nas livrarias?

Não li o livro. Portanto, não posso comentar. Mas se ele (Paulo Cesar de Araújo) faltou com a verdade ou invadiu a privacidade de Roberto, acho que caberia indenização, na linha do que ocorre em países como os EUA.

Acredita que Roberto Carlos está mesmo sendo injustiçado?

Ele se mostrou aberto ao diálogo. Mas a mídia, no geral, gosta de polemizar as coisas. Acusam Roberto de censor. Não acho que seja para tanto. /THAIS ARBEX

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.