Executivo financeiro ajuda a bancar filme sobre Bolsonaro

Sonia Racy

19 de setembro de 2019 | 00h50

JAIR BOLSONARO. FOTO SECOM

 

O cineasta pernambucano Josias Teófilo, que produz o documentário Nem Tudo Se Desfaz, sobre a eleição de Bolsonaro, conseguiu um sócio na empreitada: um executivo do mercado financeiro – cujo nome ele ainda não diz, mas garante que não é Luciano Hang. Para completar a outra parte do apoio, que vem da Ancine.

Na produção, que terá Carlos Vereza como narrador, Teófilo se encontrou com Olavo de Carvalho, mas Eduardo Bolsonaro é o único entrevistado que aparece em cena. O filme chega às telas em dezembro.

Paulistou

O governo mineiro bem que tentou. Romeu Zema convidou Wilson Poit, superintendente do Sebrae-SP, para ser secretário do Desenvolvimento Econômico de Minas – que tem como cereja do bolo a privatização da Cemig.

Poit agradeceu muito o convite, mas avisou que prefere ficar em São Paulo. Onde tem, como ficou claro, forte ligação com o grupo do governador João Doria.

Agora vai?

Rodrigo Garcia se disse surpreso com o interesse de investidores europeus pela concessão das marginais de São Paulo – e, segundo fonte da coluna, ele deixou claro que o modelo não vai admitir a cobrança de pedágios.

A ideia é lançar os editais da Marginal Tietê e da Pinheiros juntas. Até o fim do mês o governo paulista define como será o projeto e as audiências públicas vão até março. O road show do vice-governador por Londres, Roma, Madri e Milão termina hoje.

Dilma lá

Circulando pela Europa, Dilma esteve em Paris com o ex-presidente François Hollande e com a prefeita da cidade, Anne Hidalgo.

Dali seguiu para Bruxelas, na Bélgica, onde hoje tem reunião com lideranças… do PTB.

Porto Sul

Moradores de Ilhéus, na Bahia, promovem amanhã ato em defesa do Porto Sul, cuja construção tem sido muito criticada por ambientalistas. Segundo eles, a obra prejudica a biodiversidade. A empreitada é parceria do governo baiano com a empresa Bahia Mineração.

Segundo assessoria do governador Rui Costa, o projeto teve 10 audiências públicas e obteve do Ibama todas as licenças. Deve começar ainda este ano.

Apartheid ‘cordial’

Alexandra Loras acaba de filmar seu primeiro documentário, o longa Inconscientes Revelados. O filme – que traça um panorama da questão racial no Brasil e explora a ideia do apartheid cordial – traz entrevistas com Rachel Maia, Eliane Dias e Luislinda Valois, ex-ministra dos Direitos Humanos.

“Tenho observado a segregação cordial desde que cheguei no Brasil. Ainda estamos na época da escravidão moderna”, diz a ex-consulesa. Na codireção, o coletivo M.O.O.C.

Jazz na veia

O Sesc São Paulo vai trazer a banda Sun Ra Arkestra – um dos principais nomes do jazz experimental – para a segunda edição de seu festival de jazz, a partir de 8 de outubro. Arturo Sandoval e Egberto Gismonti também estão na lista das atrações, que reúne 26 artistas.

Em defesa dos cães

A modelo e ativista dos direitos dos animais brasileira Marilia Moreno protagoniza campanha na Coreia do Sul contra um costume da cultura local: o consumo de carne canina.

A causa é da ONG Dove Project e pretende arrecadar dinheiro para continuar fechando fazendas de criação de cachorros.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: