EUA ‘aliviam’ tarifa do aço e ação da CSN sobe 15%

Sonia Racy

05 Junho 2018 | 00h49

Mercado focado na Petrobrás e Eletrobrás, passou batida, ontem, a alta de 15% no preço das ações da CSN de Benjamin Steinbruch.

Portanto, não foi tão ruim assim a inclusão do Brasil, na sexta-feira, nas sanções dos EUA contra o aço importado. As vendas brasileiras estão limitadas a cotas máximas. O limite de exportação de aço semiacabado (como blocos e placas), caso da empresa de Steinbruch, equivalerá a 100% dessa média.

Usiminas e Gerdau
sobem menos

Para os produtos acabados (aços longos, planos, inoxidáveis e tubos), o limite será de 70% desse montante. Por isso Usiminas e Gerdau subiram menos que CSN: 6,7% e 2,7% respectivamente.