Eu, tu, eles

Sonia Racy

10 de fevereiro de 2012 | 23h10

Em conversa com colegas, esta semana, Cezar Peluso– voto vencido no julgamento do CNJ – não deu o braço a torcer: “Agora, cada um exerce sua função: o Congresso, a sua; nós, a nossa; e o CNJ… fiscaliza todo mundo”.

Também do contra, Marco Aurélio Mello vai mais longe: “Vivemos a era do CNJ”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: