Estudo na Unicamp avalia impacto do petrolão na economia

Sonia Racy

29 de junho de 2016 | 11h47

Um primeiro estudo sobre o impacto da Lava Jato — ou seja, do desmantelamento da produção e do investimento da Petrobrás, trazido à luz pela operação da PF — acaba de aparecer na tese de um economista da Unicamp, Marcelo Loural. Só em 2013, lembra ele como comparação, a estatal respondeu pelo dobro do que investiram, juntas, a Vale e mais 72 industrias de grande porte.

Em números globais, os gastos da Petrobrás com investimentos naquele ano foram superiores a R$ 90 bilhões, contra menos de R$ 25 bilhões da Vale e pouco mais de R$ 20 bilhões das demais empresas.

O objeto de estudo, na verdade, foi o ritmo de investimentos no País entre 1999 e 2013 — a conclusão sobre o ‘custo Petrobrás’ é uma decorrência. O economista cita que, na crise entre 2006 e 2008, a Petrobrás desempenhou o papel crucial de manter o padrão e “segurar o nível de investimento do setor industrial”. Em torno dela sempre existiu “toda uma cadeia de indústrias, como a naval, a de máquinas e equipamentos” — cujo futuro agora é incerto.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: