Estranha, a vida

Redação

15 de outubro de 2008 | 08h52

O projeto da Agência Nacional de Aviação Civil, que prevê a redistribuição de slots (autorizações de vôo dadas às empresas), está em discussão. E a agência explica por que o projeto é importante em aeroportos saturados, como o de Congonhas: novas empresas querem entrar e não há como criar novos slots.

Isto é, mesmo quem está trabalhando direito será penalizado. Um processo do tipo Robin Hood: tirar das grandes para dar às pequenas sem espaço.

Tá parecendo bode na sala.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: