Estará dado

Sonia Racy

22 Julho 2015 | 01h10

Quem conversou com Joaquim Levy semana passada não sentiu muita resistência sua em reduzir a meta fiscal – decisão que será anunciada hoje. A forte e contínua queda da arrecadação, somada à incerteza na busca receitas extraordinárias, flexibilizou sua convicção de que o 1,1% do PIB fixado teria de ser mantido a qualquer custo. Portanto, não foi surpresa ele ter dito, ontem, que mudar a meta fiscal não significa o fim do ajuste.

Entretanto, o ministro considera imprescindível deixar clara a estratégia na tomada desta decisão. Para não desmontar o trabalho que vem sendo feito.