Estado

Sonia Racy

12 de outubro de 2013 | 01h06

A ex-ministra de Lula não é a favor da intervenção que está sendo feita por Dilma nem do liberalismo. Criticou a política de preços da Petrobrás e também o BNDES – por ter eleito vencedores.

Para Marina, o PAC é um “tocador de obras”, não um pacto de Estado. “A proposta tem de ser contínua e independente do governo em questão.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: