Estado arma defesa sobre Paraisópolis na Alesp

Sonia Racy

06 de dezembro de 2019 | 00h39

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA. / FOTO: MARCIO FERNANDES/ESTADÃO

Dois dias após o caso Paraisópolis, o governo do Estado reforçou sua defesa na Assembleia. O líder governista Carlão Pignatari tornou-se integrante efetivo da Comissão de Direitos Humanos, por ato assinado pelo presidente da Casa, Cauê Macris. Vai para o lugar da delegada Damaris Moura. Todos do PSDB.

A presidente da Comissão, Beth Sahão, tenta aprovar na terça que vem o requerimento para convocar o general João Camilo de Campos, secretário de Segurança, para falar sobre o caso.

Governador recebe de novo
familiares das vítimas

Na quarta, a oposição quer levar entidades ligadas aos direitos humanos e parentes das vítimas à Assembleia. Doria se antecipou e receberá em palácio familiares dos jovens, pela segunda vez, na segunda-feira. Ontem, ele fez questão de ligar para Moro. O ministro disse que “aparentemente houve erro operacional grave da PM de SP”.

Arte no muro para
lembrar dos nove 

Um painel grafitado com os nomes das nove vítimas de Paraisópolis está sendo montado nas vielas em que elas morreram. Segundo Vinicius Caps, o grafiteiro e morador do lugar que idealizou a obra, a ideia é criar algo “alegre, colorido”, para atenuar o ‘clima ruim’ da comunidade.

“Não vamos pintar os retratos das vítimas em consideração às famílias”, explica. A obra será finalizada no domingo, junto com missa de sétimo dia dos garotos.

Prefeitura consegue 170% de ágio
na venda de Cepacs para Faria Lima

Foi boa a quinta-feira para a Prefeitura. Faturou R$ 1,63  bilhão — com ágio chegando aos 170% — vendendo em leilão da B3 um total de 93 mil títulos de Cepacs, os certificados de potencial construtivo da Operação Urbana Faria Lima.

Os valores arrecadados serão investidos em obras  de infraestrutura, habitação social e melhorias várias naquela região.

STJ limita provas obtidas
durante revista íntima

O STJ entrou no debate sobre a ilegalidade de provas em processos, tema que tem tomado atenção no STF. Sua 6.ª Turma decidiu que não valem as provas que forem obtidas em revista íntima em presídio com base em elementos subjetivos ou suposições, pois isso “contraria o direito à dignidade e à inviolabilidade corporal”.

A decisão se inspira em outra do STF segundo a qual ingresso forçado em domicílio, sem mandado judicial, só é legítimo se houver fundadas razões.

Outro lado sobre
Lençóis Maranhenses

Em relação à nota publicada ontem, sobre a suposta lentidão do Ministério do Meio Ambiente em relação aos Lençóis Maranhenses, o governo Bolsonaro entende que propostas para participar de programas internacionais, como os da Unesco, devem sempre ser precedidas de análise das restrições decorrentes dos compromissos assumidos.

Petrópolis já começa a
comemorar bicentenário

Petrópolis saiu na frente nas comemorações dos 200 anos da independência do Brasil, a se completarem em 2022. O Museu Imperial, principal da cidade, abre neste sábado a exposição D. Maria da Glória, princesa nos trópicos e rainha na Europa.

Comemorando o bicentenário de nascimento da rainha de Portugal, que era irmã de Pedro II.

Toca o sino

O Palácio dos Bandeirantes abre hoje visitação à sua árvore de Natal. Com 8 metros de altura, ela foi instalada no hall nobre do prédio. Já o presépio foi montado num oratório do século XVIII. As atividades também incluem apresentações musicais e contação de histórias.

Surfando

Um conjunto residencial que terá, além de áreas para golfe e tênis, a primeira piscina do País com ondas de surfe de até 2,75 metros. Esse é o Boa Vista Village – projeto anunciado pela JHSF, junto à Fazenda Boa Vista, em Porto Feliz. As primeiras unidades devem ser entregues ainda em 2020.

 

 

 

Tendências: