Escultura lembra os 15 anos da morte de Mario Covas

Escultura lembra os 15 anos da morte de Mario Covas

Sonia Racy

22 de fevereiro de 2016 | 15h56

DIVULGAÇÃO

DIVULGAÇÃO

Para marcar os 15 anos da morte de Mário Covas, a Fundação Mario Covas inaugura dia 6 de março, no Parque da Juventude –antigo Carandiru –, a escultura Sonho de Liberdade (acima). O evento inclui um ato ecumênico comandado por um padre, um pastor evangélico, um rabino e um representante de cultos afros.

O trabalho será instalado exatamente onde ficava, antes, o Pavilhão 9 da Penitenciária — local onde ocorreu a chacina de 111 presidiários, em 1992. Em bronze, ele tem 6 metros de altura e foi originalmente concebido pelo artista italiano Domenico Calabrone. Depois de sua morte, em 2000, a família doou o trabalho à Fundação Mario Covas.

De início, o Sonho deveria ser instalado no parque Mario Covas, na esquina da Avenida Paulista com Peixoto Gomide. Segundo se informou na época, a ideia não avançou por falta de espaço. Há muitas árvores no parque e a altura do trabalho criaria problemas práticos. O Parque da Juventude foi escolhido por ser visto como um símbolo da transformação da cidade. De prisão, ele se tornou uma área de lazer e cultura, com uma escola técnica e uma biblioteca.

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.