Entrave

Sonia Racy

27 de março de 2012 | 01h03

Larry Gagosian, dono da rede de galerias que leva seu sobrenome (três em Nova York e outras em Los Angeles, Londres, Roma, Paris, Genebra, Atenas e Hong Kong), teria, sim, interesse em montar algo no Brasil.

Entretanto, segundo Serena Cattaneo Adorno, responsável pela galeria parisiense, o problema fiscal é gigante. Para entrar no País, paga-se 40% de imposto sobre qualquer obra de arte comprada lá fora. Mesmo que seja brasileira. E para saírem, estrangeiras ou nacionais, também se paga.

No opinião de Serena, isso prejudica o Brasil em sua intenção de integração no mercado de arte mundial.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: