Entediado, Lucas Jagger acompanha a mãe Luciana na Sapucaí

Entediado, Lucas Jagger acompanha a mãe Luciana na Sapucaí

Cecília Ramos e Marcela Paes

25 de fevereiro de 2020 | 16h12


LUCAS JAGGER NO SAMBÓDROMO DO RIO. FOTO CECÍLIA RAMOS

Levando na camiseta o rosto da cantora pop Taylor Swift, Lucas Jagger fez um tour pelos camarotes ignorando o dress code obrigatório de abadás. Entre entediado e resignado, o jovem fazia a função de acompanhante da mãe, Luciana Gimenez, na segunda noite de desfiles na Sapucaí.

“Ó, terceiro andar, (show de) Seu Jorge. Não some!”, avisou a mãe, enquanto posava para fotos na porta do camarote Nº 1. “Tá boooooooom”, respondeu Lucas. “Sobe Logo”, retrucou Luciana, que circulou com vestidos customizados para cada camarote. Eu já voooou”, disse Lucas, voltando a conversar com a coluna.

“Eu vim aqui por ela mesmo. Eu estar aqui conversando com você está sendo a maior separação que eu já tive dela desde que cheguei no carnaval. Meus amigos não estão aqui, estão em blocos. Mas nem de bloco eu gosto. Quem sabe no ano que vem”, disse o jovem, que mora em NY e veio ao Brasil para comemorar o aniversário do irmão mais novo, Lorenzo Gabriel. E, claro, fazer o giro carnavalesco.

O pai de Lucas, Mick Jagger, também já esteve algumas vezes na Sapucaí e sabia que o filho participaria da festa este ano. “Mandei uns negócios pra ele falando que eu viria, né? Claro’, diz.

Alheio à política brasileira do momento, Lucas lamentou a derrota do candidato democrata Andrew Yang nas primárias americanas (Andrew defende uma renda mínima de mil dólares para cada americano). “Fiquei mal ao ver que o Andrew teve de sair da corrida. Agora não sei quem vou apoiar. Eu estava realmente gostando desse cara”, disse Lucas, se despedindo, para, finalmente, seguir o ritmo frenético da mãe.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.