Engenharia…

Sonia Racy

08 de fevereiro de 2014 | 01h14

Complexa operação de reestruturação da Oi será encaminhada à CVM nos próximos dias. Praticamente fechada – seguindo o que foi anunciado em outubro do ano passado –, ela envolve até R$ 14 bilhões. Em capítulos simultâneos e já contratados. São eles:

a) A Portugal Telecom aporta R$ 6 bilhões, por meio de seus ativos na África e na Europa, em uma nova empresa.

b) Os sócios da Telemar (Andrade Gutierrez, Grupo Jereissati, fundos de pensão e BNDES) também capitalizam a própria empresa em proporções iguais.

c) Fusão da nova empresa da PT e a Telemar já reforçada.

d) Captação de até R$ 8 bilhões no novo mercado – com garantia firme de bancos liderados pelo BTG.

…na linha

Pelo que se apurou, conseguiu-se chegar a um consenso que agrada a todos. A PT está feliz, pois os ativos que serão aportados entram pelo melhor preço de mercado. Já Andrade Gutierrez e Grupo Jereissati poderão quitar dívidas. E os fundos de pensão preservarão seus investimentos.

O bloco de controle será o mesmo. Depois da captação no mercado, poderá mudar.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.