Engatando a primeira marcha

Engatando a primeira marcha

Sonia Racy

18 Janeiro 2017 | 02h00

CONVENÇÃO O clima em Davos está favorável ao Brasil. “Não tenho dúvidas de que o interesse pelo País vai aumentar após esse encontro do World Economic Forum, consequência das notícias positivas aqui divulgadas pela nossa delegação”, apostou ontem, direto da Suíça, Roberto Setubal, do Itaú.

Segundo ele, em conversa com a coluna, há bastante interesse pelo País. “Havia um certo desconhecimento dos progressos conseguidos, que ao serem anunciados surpreendem muito positivamente”, relata. Entre as surpresas positivas estão a aprovação da PEC do teto de gastos, a proposta de reforma da Previdência e o controle da inflação.

Entretanto, no ver do experiente banqueiro — tradicional presença do evento criado por Klaus Schwab em 1971 –, existem ainda preocupações com “o baixo crescimento e cenário político incerto”. Semana passada, esta coluna também registrou um maior otimismo de Luiz Trabuco, do Bradesco, e José Olympio Pereira, do Crédit Suisse.