Energia em jogo 2

Redação

30 de janeiro de 2010 | 06h00

O fato é que São Paulo tentou vender a Cesp há dois anos e não conseguiu. Uma das razões: não havia garantia de que seriam renovadas as concessões de várias geradoras. “Isso atrapalhou todo mundo, não só a Cesp”, diz o secretário, ressaltando que os investimentos no setor elétrico exigem financiamento de longo prazo “e ninguém dá crédito de longo prazo sem saber se a concessão da estatal vai continuar”.

Para Costa, se a MP sair o País inteiro ganha.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.