Elena Landau deixa do PSDB depois de 25 anos

Sonia Racy

01 Dezembro 2017 | 01h20

ELENA LANDAU

ELENA LANDAU. FOTO: MARCOS DE PAULA/ESTADÃO

Elena Landau deixa o PSDB depois de 25 anos. “Lutei ao lado de Tasso Jerreissati por uma boa causa”, disse ontem, com tristeza, à coluna.

A economista entrou no partido pelas mãos de Jereissati – então presidente do PSDB, em 1991 – e se filiou dois anos depois. Conhecida por sua dedicação à legenda, defendeu com unhas e dentes, quando diretora do BNDES no governo FHC, os processos de privatização de estatais.

Nos últimos tempos, vinha dando sinais de descontentamento com o desmoronamento do partido. Houve duas últimas gotas d’água, o racha quanto ao apoio à reforma da Previdência e o documento Gente em Primeiro Lugar – o Brasil que Queremos, anunciado na terça-feira. Mas a principal razão da sua saída foi a exigência  de Tasso retirar sua candidatura à presidência do partido.

José Aníbal coordenou
elaboração do documento

A elaboração do documento – que propõe novas diretrizes e deve servir de base à campanha eleitoral de 2018 – foi coordenada por José Aníbal. Nenhum economista de peso do partido foi consultado.

Leia mais notas da coluna:

+ Há conversas para que Nelson Jobim aceite ser vice de Lula

+ Deputado da tatuagem ignora ação de Wagner Moura e outros artistas