Eduardo Paes faz périplo pela Zona Sul do Rio para ‘ganhar’ elite

Eduardo Paes faz périplo pela Zona Sul do Rio para ‘ganhar’ elite

Sonia Racy

11 de novembro de 2020 | 00h45

Eduardo Paes. Foto: Marcos de Paula/Estadão

 Na reta final, Eduardo Paes, candidato a prefeito do Rio, tem feito um périplo pela cidade, tentando conscientizar a classe alta, falando para pequenos grupos – ele e sua equipe já tiveram covid-19.

Tem repetido que os cariocas não podem errar novamente. Foi basicamente por causa de falta de votos em Pedro Paulo, candidato de Paes, na Zona Sul (onde Paes nasceu, estudou e viveu) que Crivella foi eleito.

Quem vai…

 No primeiro turno da eleição, quatro anos atrás, as classe A e B alta, quiseram inovar, fazer diferente. E votaram em Marcelo Freixo, com o qual não comungam das mesmas ideias.

…para o segundo turno

Isso levou o candidato do PSOL ao segundo turno, para a alegria de… Crivella. As pesquisas davam que ganharia se o adversário fosse Freixo. E aí, conta o ex-prefeito, os mesmos eleitores da Zona Sul, com medo de Freixo, votaram em  Crivella. Pedro Paulo, candidato de Paes, ficou em terceiro lugar, por 25 mil votos. “E hoje, o Rio tem um gestor completamente despreparado”, diz.

 Voto racional 

A exemplo de São Paulo, onde a dúvida é sobre quem vai disputar com Bruno Covas o segundo turno, no Rio a incógnita é se Martha Rocha, pouco conhecida, chega na provável segunda etapa da eleição. “Eu sei que fulano é um fofo, que sicrano também. Mas dessa votação em 2020 depende o futuro da nossa cidade. É disso que a gente tá tratando aqui”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: