É luxo só

Redação

07 de junho de 2009 | 06h00

Em tempo de crise, o mercado de luxo continua de olho na China. E uma das campeãs de preferência por lá é a Gucci. Que acaba de abrir flagship, em Xangai.

Por aqui, os ícones do segmento também comemoram. A filial da Louis Vuitton de São Paulo, por exemplo, está entre as mais rentáveis das 405 lojas que a marca mantém mundo afora.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: