Dura de matar

Sonia Racy

08 de maio de 2014 | 01h03

Ao ser indagada anteontem, durante jantar com mulheres jornalistas em Brasília, sobre a reação positiva da BM&F quando pesquisas mostram sua queda,  Dilma não titubeou: “Eles (empresários e banqueiros) fazem crítica hoje e desfazem amanhã”.

Dura de matar 2

No mesmo encontro, ao mostrar às presentes a recuperação da capela ao lado do Palácio da Alvorada, reagiu a comentário de que a “nova” igrejinha seria providencial: “Saiba que a única pessoa que derrota você é você mesma. Em qualquer circunstância, eu não me deprimo”.

E repetiu três vezes, durante a noite: “Devo ter couro de jacaré ou de tartaruga”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: