Dupla de acordes

Sonia Racy

24 de setembro de 2010 | 23h01

João Carlos Martins e Arthur Moreira Lima nasceram com apenas 21 dias de diferença – 25 de junho e 16 de julho, respectivamente. Mesmo com algum atraso, os dois comemoram hoje, com um concerto na Sala São Paulo, acompanhados da Filarmônica Bachiana Sesi-SP, seus 70 anos de vida. A coluna conversou com Martins sobre a dupla comemoração.

Como vocês se conheceram?

Nós começamos a tocar piano aos oito anos, o Arthur no Rio e eu em São Paulo. Embora desde pequenos assistíssemos aos concertos um do outro, só viemos a nos conhecer mesmo aos 38 anos. Ele já era especialista em Chopin e eu em Bach. A partir daí, nos tornamos grandes amigos.

Como nasceu a ideia do concerto comemorativo dos 70 anos?

Queríamos festejar com a mesma paixão e alegria que sentimos quando nos apresentamos em favelas ou aldeias indígenas. Fizemos questão de escolher obras de Bach, Chopin e Villa-Lobos que eram significativas para os dois. Incluímos também uma composição complicadíssima de Alberto Ginastera. Só dois loucos, aos 70 anos, se arriscariam a fazer algo tão difícil.

A comemoração ficará apenas nos dois concertos?

Não, terá um DVD sobre as duas apresentações, em NY e SP. E sairemos em turnê nacional no ano que vem.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.