Dominó

Sonia Racy

10 de março de 2011 | 17h17

A crise entre as famílias Odebrecht e Gradin na Braskem respingou na Associação Brasileira da Indústria Química: Eduardo Bernini deixa a presidência da instituição.

E justifica: “Entrei há seis meses com a missão específica de defender uma política industrial para o setor. Como essa era uma bandeira principalmente do Bernardo Gradin, minha permanência por lá não tem mais sentido”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.