Do jeito certo

Do jeito certo

Sonia Racy

10 de agosto de 2014 | 01h02

CRÉDITO: IARA MORSELLI/ESTADÃOFlavia Aranha é estilista e adepta do movimento Slow Fashion – que prioriza o uso de materiais orgânicos e produtos que não agridem o meio ambiente. Além, claro, de ser totalmente contra o trabalho escravo na indústria da moda. Com essa visão sustentável, Flavia foi convidada pelos integrantes do Fashion Revolution, de Londres, para criar, com Daniel Alva, uma exposição de fotos e um folheto – cuja missão é explicar o processo pelo qual suas peças passam até chegar ao cliente. “No Brasil, ainda não é fácil fazer moda dessa maneira. A coleção é feita inteiramente no meu ateliê. No exterior, o movimento é mais conhecido, principalmente em Los Angeles”, conta ela. “Ainda importo muitos materiais de fora, como o algodão orgânico, difícil de encontrar por aqui – ele vem da Índia. E também invisto muito em pesquisas com tingimento vegetal”, explica. Se esse processo, praticamente manual, encarece a peça? “Encarece, mas tudo é feito de maneira justa, sem poluição e respeitando os trabalhadores.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.