Do bem

Sonia Racy

14 de abril de 2013 | 01h05

Sempre discretos, Laís e Telmo Porto acabam de fazer a primeira doação de obras raras para a Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin, da USP.

São seis títulos. Entre eles, Marilia de Itamaracá ou a Donzela da Mangueira, drama lírico de Luís Vicente de Simoni publicado no Rio em 1854. E uma publicação de 1818, da Real Typographia, de Bernardo Ferreira de Souza, que narra os festejos da aclamação de Dom João VI.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: