Discussão elementar

Sonia Racy

05 de dezembro de 2011 | 23h11

Do mesmo jeito que há quem queira derrubar o Gota D’Água, agora há também os que querem intrigar o movimento Tempestade em Copo D’Água.

Como? Insinuando que Sebastião de Amorim, professor da Unicamp (do Tempestade em Copo D’Água) e dono da Tecnométrica, tem interesse pessoal na construção de Belo Monte. “A usina é muito maior do que isso. Estou tranquilo e aberto a responder qualquer questão”, afirmou à coluna.

Discussão 2

Amorim e sua turma de alunos preparam novo vídeo, “irmão maior” do primeiro.

Promete esclarecer, mais porfiadamente, dúvidas sobre Belo Monte, com dados e números. A ser gravado depois das provas finais da universidade.

Discussão 3

Do outro lado, Maria Paula Fernandes e Sergio Marone, do Gota D’Água, se encontram com lideranças indígenas em Altamira, para discutir o impacto de Belo Monte.

E gravam mais um vídeo por lá.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.