Direto do Debate

Redação

25 de outubro de 2008 | 13h15

O que mais impressionou a platéia de convidados da TV Globo, ao assistir o debate final entre Gilberto Kassab e Marta Suplicy, na noite de sexta-feira, não foram os ataques de Marta ao caráter de Kassab ou as perguntas de Kassab à Marta em relação aos “companheiros” do mensalão. As respectivas estratégias já haviam sido, regra geral, antecipadas. E sim a atuação “olho no olho” do marido de Marta.

Da sua cadeira na primeira fila da arquibancada montada pela emissora, Luiz Favre interferiu diretamente. Como? Fazendo sinais com as mãos, “sobrando” dicas por meio de leitura labial, pedindo calma à candidata e dando sinais de aprovação quando achava que sua mulher acertou.

Se estivesse lá, tenho certeza que a presidenta da Argentina Cristina Kirchner teria um ataque de inveja.

Por Sonia Racy

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: