Direto do debate

Sonia Racy

26 de outubro de 2010 | 23h01

No penúltimo debate destas eleições, realizado na TV Record anteontem, Serra e Dilma surpreenderam: chegaram 30 minutos antes. A petista foi abrigada no camarim de Rodrigo Faro e o tucano, no do Eduardo Guedes.

Clima tenso, os peessedebistas ocuparam o lado direito do auditório. Entre eles, Sérgio Guerra fazia críticas em voz alta: “Lá vem ela com o antes do pré-sal e depois do pré-sal”. E quando Dilma acusou o partido do vice do candidato Serra de querer extinguir com o ProUni, Indio da Costa desabafou: “Ela me cita tanto que só pode me amar, não é possível”. Do lado dos petistas, Marco Aurélio Garcia era só elogios a sua candidata “está muito bem para uma primeira campanha eleitoral”. E José Eduardo Cardozo, depois de ligação recebida no intervalo, anunciou: “Ei, parece que três pessoas ligadas ao diretório de Perus do PSDB foram presas distribuindo panfletos com ficha de Dilma. Vamos denunciar amanhã”.

Bem organizado, houve novamente uma falha nos cronômetros, seguida de assobios e reclamações que só cessaram quando produtores da emissora providenciaram o tempo impresso em papéis.

Marco Aurélio Garcia descartou o último round, da TV Globo sexta-feira, como decisivo: “Não vai ter essa de bala de prata”. Já Sérgio Guerra pensa diferente: “será nervoso”. E Aloizio Mercadante não cumpriu sua promessa registrada na coluna. Ele, que não prestigiou Dilma em nenhum debate do segundo turno, tampouco apareceu no da Record.