Direto da SPFW

Sonia Racy

03 de fevereiro de 2011 | 23h10

“Você tem um convitinho aí?” foi a frase mais ouvida pelos corredores da Bienal durante os últimos dias da SPFW. Vinha de quem conseguiu entrar no prédio, mas não nas salas de desfiles. Concorreu de perto com “De onde é esse casaco? E esse sapato? E esse vestido?” ou “Posso tirar uma foto?”. O comentário geral, entre fashionistas, é que essa edição foi a mais classe C de todas. Sem contar a histeria diante de astros de Hollywood.

No último dia de evento, anteontem, dois pequenos incidentes também chamaram a atenção: uma modelo escorregou na passarela encharcada da Cavalera, e mais um manifesto contra o uso de peles na moda, com direito a distribuição de panfleto ilustrado com sangue animal.

Também notado que as disputadas filas A de alguns desfiles tiveram assentos preenchidos por quem estava no alto da arquibancada, lugar de desprestígio. Motivo? Desinteresse ou cansaço de quem está no Ibirapuera desde sexta.

Já a apresentação de Gloria Coelho no Shopping Iguatemi, durante o horário do almoço, lotou. E mesmo com o atraso de mais de uma hora, a estilista foi aplaudida de pé.

JOÃO LUIZ VIEIRA

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.