Direto da Olimpíada

Sonia Racy

05 de agosto de 2016 | 00h45

O time de refugiados dos Jogos foi um dos mais assediados, ontem, durante o hasteamento da bandeira olímpica – ritual que acontece com todas as delegações, conforme vão chegando à vila dos atletas.

Diferentemente de seus colegas de time que comemoravam a chegada ao Brasil, Yusra Mardini – a síria que nadou três horas para fugir da guerra e que hoje treina na Alemanha – se mostrou avessa à imprensa.

Embora rejeitasse a ideia de dar entrevista à coluna, a jovem nadadora, no entanto, confessou estar feliz por representar os refugiados e disse ter tido uma boa impressão do Rio.

Ainda assim, Yusra não resistiu à espontaneidade dos dançarinos brasileiros. Para recepcionar os recém-chegados, estes mostravam os seus melhores passos ao som de Baile de Favela, do Mc João.

Tudo o que sabemos sobre:

Baile de FavelaMc JoãoYusra Mardini

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: