…direitos iguais

Redação

11 de novembro de 2008 | 08h03

A ação conta com o apoio de outras entidades de arquitetura, o IAB e a Asbea. “Há discrepância no trato entre escritórios estrangeiros e nacionais”, garante José Eduardo Tibiriçá, da Asbea. “Não se pode ter dois pesos e duas medidas”, completa João Suplicy, do IAB.

A Secretaria da Cultura rebate: “Os atos do governo de São Paulo estão todos embasados na lei”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.