Para ex-embaixador, novo chanceler pode enfraquecer imagem do País

Sonia Racy

05 Janeiro 2019 | 00h55

EMBAIXADOR ROBERTO ABDENUR. FOTO PAULO GIANDALIA/ESTADÃO

Velho conhecedor do chanceler Ernesto Araújo – que foi seu colaborador nos anos 90, quando ele era embaixador na Alemanha –, o diplomata Roberto Abdenur não está entusiasmado com os horizontes que ele pretende dar à diplomacia brasileira. Acha que a presença internacional do Brasil “corre o risco de diminuir”.

Segundo Abdenur, que também foi embaixador na China, nos EUA, Áustria e Equador, Araújo “é competente, mas é um extremista. Partilha da ideia de que o Ocidente está em decadência e de que só os EUA podem salvá-lo”.