Dinheirama

Sonia Racy

04 de dezembro de 2013 | 01h08

Everton Rheinheimer tem de preparar o bolso se não quiser “quebrar” na pessoa física. Como a Siemens não encontrou indício de envolvimento de políticos, como afirma o ex-funcionário da empresa, ele próprio arcará com as custas das ações judiciais movidas por tucanos acusados em carta enviada por ele ao Cade.

O compromisso da multinacional alemã com Everton é dar apoio jurídico nas negociações do acordo de leniência desde que ele coopere integralmente com as investigações.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: