Dilma recebe o argentino Mauricio Macri na sexta-feira

Sonia Racy

01 de dezembro de 2015 | 19h16

O presidente eleito argentino Mauricio Macri estará na sexta-feira em Brasília, para seu primeiro encontro com a presidente Dilma Rousseff. Os contatos entre as duas diplomacias, para decidir horários e acertar uma agenda básica, aconteceram na noite de segunda-feira para esta terça, quando a presidente brasileira já havia decolado de Paris — onde participou da abertura da cúpula mundial do clima — rumo ao Brasil.

Não é provável que os dois discutam em detalhe temas da agenda dos dois governos — mas já está claro um certo distanciamento entre os dois a respeito da situação na Venezuela. Macri propôs, logo após sua vitória eleitoral, uma reunião do Mercosul para se discutir a expulsão do governo do venezuelano Nicolás Maduro do grupo, por “abusos na campanha eleitoral,  perseguição aos opositores e à liberdade de imprensa”. Dilma rejeitou publicamente essa iniciativa, anteontem, em Paris.

O sucessor de Cristina Kirchner, apesar disso, já definiu o Brasil em entrevistas como “o sócio comercial do futuro” da Argentina e afirmou que as relações de Dilma com ele “serão muito mais fáceis” do que as que ela tinha com Cristina. De imediato, o que mais interessa ao setor empresarial argentino é que o Brasil financie suas compras de máquinas e veículos brasileiros.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.