Desvalorização das moedas no mundo tem um campeão

Sonia Racy

21 de março de 2020 | 00h42

Para medir a desvalorização das moedas no mundo, um importante investidor sentou-se para fazer as contas. E encontrou dados muito interessantes. Vamos lá: o peso mexicano é campeão! Desde o dia 1º de janeiro, ele se desvalorizou na comparação com o dólar nada menos que 26,7 % até ontem.

Usando o mesmo parâmetro, quem vem em segundo lugar? A Colômbia com uma desvalorização de 25,66%. Em terceiro lugar, está o Brasil com 24,84%, seguido pelo Chile (13,53%), depois vem o Chile(13,53), Canadá (10%), Turquia (9,43%), Argentina (9,43%, e aí por diante.

E a China? Será que tem seu câmbio controlado? Desvalorizou 22,27%.  Já a libra se valorizou 10% e o euro…3,98%.

Quarto da ‘crise’

A noite de hoje será a quinta de Bruno Covas dormindo na Prefeitura de SP. A pedido do prefeito, sua cama foi tirada de casa e colocada dentro do gabinete, onde ele passa a maior parte do dia. O filho, Tomás, o visita sempre.

O prefeito tem saído para agendas externas – como idas ao Palácio dos Bandeirantes e inauguração de leitos em hospital. Esta semana, terá mais agendas na rua. E só em abril fará sua terceira sessão de imunoterapia.

Data venia

Ministros do STF estranharam o pedido de vista de Joaquim Barbosa no processo de indenização de R$ 3 bilhões da União à Varig.

Afinal, é o presidente que pauta o julgamento.

Upgrade

O Insper, de Claudio Haddad, e a ESCP Europe, escola de negócios mais antiga da Europa em educação executiva (de acordo com ranking do NYT), assinaram acordo de cooperação.

Vaquinha

Os bares Heute e Cama de Gato, em Santa Cecília, fazem crowdfundings para minimizar o prejuízo da quarentena. A ideia é vender kits de consumo adiantados que poderão ser usados quando os bares reabrirem. Canecas, camisetas, tatuagens e até encontros com os proprietários do Heute, a modelo Ellen Milgrau e o DJ Stroka, por exemplo, estão inclusos nos pacotes.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: