Destino da jabuticaba

Sonia Racy

23 de março de 2013 | 01h10

Campeãs nacionais, donas de subsidiárias no exterior estão com os nervos à flor da pele. Joaquim Barbosa resolveu tirar de pauta, semana passada, um conjunto de importantes ações que discutem o pagamento de impostos sobre lucro obtido no exterior. Por causa do julgamento dos precatórios.

Em um dos processos, o placar está em 5 a 4 contra a União – o voto do presidente do STF definirá a questão. O temor é que ele resolva rediscutir o imbróglio do zero.

Jabuticaba 2

Mas por que o caso é tão importante? Da decisão do STF depende o planejamento futuro das empresas lá fora. Se vão continuar investindo ou não.

A taxação (que só existe no Brasil) foi criada há dez anos. À época, ninguém da iniciativa privada ligou muito. Isto porque o crescimento, no exterior, não era tão expressivo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: