Deputado da tatuagem ignora ação de Wagner Moura e outros artistas

Deputado da tatuagem ignora ação de Wagner Moura e outros artistas

Sonia Racy

30 de novembro de 2017 | 01h15

WLADIMIR COSTA

WLADIMIR COSTA. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Acusado de difamação e injúria por Wagner Moura, Sônia Braga, Orlando Morais, Letícia Sabatella e Glória Pires, o deputado Wladimir Costa – que fez no ombro uma tatuagem falsa com o nome de Temer – ignorou o processo.

Raquel Dodge pediu então que Alexandre de Moraes nomeasse um defensor público para ele – o escolhido foi o chefe da Defensoria do DF, Ricardo Batista Sousa.

O que fez Wladimir? Xingou os artistas em audiência de uma no plenário da Câmara, chamando-os de “vagabundos da Lei Rouanet”.

Leia mais notas na coluna:

Acordo com governo era mal menor para bancos, avalia Setúbal

Fernando Meirelles começa as filmagens de The Pope

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: