Delicada rejeição

Redação

29 de novembro de 2008 | 06h04

Nas cadeias femininas de São Paulo, o medo do diagnóstico é maior que a vontade de cuidar da saúde. Das 5.200 mulheres que “vivem” nas 10 maiores penitenciárias do Estado, apenas 1.732 aceitaram fazer um papanicolaou. Nos exames de mamografia, o temor é menor: 2.252 detentas aceitaram fazê-lo.

Na viagem pelos presídios, a Secretaria da Saúde usou caminhões adaptados, cedidos pelo Hospital do Câncer de Barretos. Um deles, doado por Ivete Sangalo. E com uma imagem gigante da cantora nas laterais.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.