Defesa de Lula entra, às 3h da manhã, com novo recurso contra inelegibilidade

Sonia Racy

10 Setembro 2018 | 11h17

LULA. FOTO: DOUGLAS MAGNO/AFP

LULA. FOTO: DOUGLAS MAGNO/AFP

Advogados de Lula entraram com um recurso no Supremo às 3h da manhã desta segunda-feira, para que a inelegibilidade do ex-presidente seja suspensa. O pedido foi levado ao tribunal poucas horas depois que a ministra Rosa Weber decidiu, no TSE, que ele era admissível.

Trata-se do segundo pedido feito a Celso de Mello, do STF. Em resposta ao primeiro, o ministro tinha dito que era preciso esperar o TSE se manifestar sobre recurso.

Para os advogados responsáveis pelo registro eleitoral de Lula, o recurso que está nas mãos de Mello é a maior chance do petista disputar as eleições.

O ministro pode decidir a qualquer momento, sozinho ou levando para uma sessão do plenário.

Ontem, na decisão que saiu pouco antes da meia-noite, Rosa também negou um pedido para adiar o prazo de substituição do Lula na chapa. O prazo para a troca termina na terça-feira.

Leia mais notas da coluna:
+ Após atendado, cai número de pessoas que não conhecem Bolsonaro
+ Ministro quer novo modelo de gestão para Museu Nacional