Dedo na ferida

Dedo na ferida

Sonia Racy

04 de maio de 2014 | 01h14

Lourenço Mutarelli e Tomás Rezende (Foto: Denise Andrade/Estadão)

Lourenço Mutarelli tira da manga texto inédito, nunca encenado. A Hora Errada será conduzido aos palcos paulistanos pelas mãos do diretor Tomás Rezende. A peça – que estreia quinta, no Sesc Consolação – aborda dilemas e conflitos de um homem que vive em um regime totalitário. “Não se trata de uma réplica de ditaduras que já ocorreram, mas, sim, de uma forma mais radical de regime que poderia acontecer no futuro”, esclarece Rezende.

Para Mutarelli, o texto também é uma tentativa dolorosa de reencontro com a história de seu pai, um policial que torturou pessoas. “Eu não consigo entender como uma pessoa pode fazer isso e viver uma vida aparentemente comum”, diz. No elenco estão Magali Biff, ganhadora dos prêmios Shell e APCA e também Zémanuel Piñero.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: