Debandada na CEF gera dúvidas

Sonia Racy

26 Janeiro 2018 | 00h50

A debandada na CEF, esta semana, gerou dúvidas. Há quem esteja apostando no atraso, mais uma vez, do leilão de ‘privatização’ dos jogos de loteria da Caixa. Os jogos, para quem não sabe, são grande fonte de recursos.

E o banco está buscando meios para se enquadrar nos limites do acordo da Basileia.

Segundo fonte próxima às negociações, o assunto estava andando muito bem, com players interessados – inclusive internacionais.
Mas eles entraram em ‘modo observação’, indagando aqui e ali sobre como se dará o desenrolar da delicada situação da instituição financeira.

O tempo, para tanto, no ver dos investidores, é curto. As eleições estão aí e a CEF sequer decidiu se vai ser sócia ou não do interessado, e com qual porcentual. Essa indefinição impacta regras de governança futura e dá fôlego para as caixas estaduais – que estão contra o processo – se movimentarem.

Ou seja, virou literalmente “uma loteria”…