De quem entende

Sonia Racy

07 de setembro de 2011 | 23h03

Stanley Fischer, presidente do BC de Israel, conversou com empresários do Lide que estão em Jerusalém para o Audi Business Trip. Anteontem, na sede do banco, traçou quadro positivo da economia local e manifestou expectativa de juros decrescentes em países emergentes, incluindo o Brasil.

Se não demonstrou grande preocupação com os EUA, seu cenário para a Europa não foi tão otimista. Para o ex-Citigroup e ex-FMI, falta agilidade à Comunidade Europeia: a tentativa de solução de problemas vem sempre com atraso. E esse descompasso pode, em algum momento, agravar a fragilidade econômica do bloco.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.