De quem entende

Sonia Racy

01 de fevereiro de 2011 | 23h08

Naji Nahas olha para o Egito, país onde nasceu e se criou, com preocupação. “Ao não melhorar a vida da população, Mubarak errou muito nestes 30 anos. Sequer conseguiu criar uma classe média”, lamentou anteontem durante jantar que ofereceu para representantes da Mitsubishi Elevadores, que querem se instalar por aqui.

Nahas teme que se o Egito “cair” e os extremistas tomarem o poder, uma catástrofe se produzirá no mundo árabe.

Curiosidade: o egípcio estudou dos seis aos 17 anos com os dois principais líderes do partido islâmico. Em um colégio… jesuíta.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.